Soft Skills e Hard Skills: as habilidades que todo RH deve procurar num candidato.

Skill é um termo que vêm do Inglês e significa habilidade, conhecimento.

No contexto dos Recursos Humanos, é comum ouvirmos falar em Skills de maneira geral, como itens que compõem o currículo de um candidato e que os qualificam para determinada posição em uma empresa.  

O que muitos ignoram é que estes skills podem ser categorizados de acordo com as políticas da empresa, seus valores, prioridades, perfil ideal, ...E esta diferenciação pode ser decisiva num processo seletivo. Quer entender como?  

 

Soft Skills 

De forma sintética, os Soft Skills são aprendidos por experiência - abrangem habilidades comportamentais, de organização, colaboração e comunicação, entre outros - que se relacionam com a personalidade e os valores do candidato. 

Para as empresas, a importância de cada soft skill costuma variar bastante. É necessário definir na hora em que o perfil da vaga é traçado quais são os soft skills mais adequados para o profissional, levando em conta os valores da empresa, o clima organizacional e as carências de habilidades das equipes que se relacionarão diretamente com o novo profissional.  

 

Alguns exemplos de Soft Skills: 

Comunicação  

Mais importante que se comunicar é se fazer entender. A habilidade de comunicar e ser compreendido só vem através da prática: fala, audição e escrita, aliadas a um pouco de persuasão são componentes fundamentais de uma comunicação efetiva.  

 

Resiliência 

Saber lidar com momentos ruins ou cheios de pressão, resultados inesperados e urgências é essencial para quase todas as áreas de atuação. Como costuma ser aprendida através da prática, reflexão e adequação do comportamento, este skill costuma surgir com o tempo e é valiosíssimo para as empresas que precisam se adequar às mudanças bruscas do mercado.  

 

Empatia 

A capacidade de ouvir, entender e se colocar no lugar do outro é outra habilidade valiosa no mercado de trabalho: internamente, esta ‘sensibilidade’ cria equipes mais unidas e lideranças mais humanas. Externamente, ajuda a compreender mais a fundo as necessidades dos clientes.  

 

Autogerenciamento 

Entender seu tempo é essencial para cumprir prazos. Gerenciar seu fluxo de tarefas, coordenar entregas e buscar resultados com cada vez mais eficiência são algumas características do autogerenciamento, que também abrange inteligência emocional, divisão de tarefas e gerenciamento do stress. Este tipo de Skill garante funcionários mais proativos e engajados com seus trabalhos, que se preocupam tanto com seu rendimento quanto seu bem-estar emocional. 

 

 

Hard Skills 

Hard Skills são as habilidades e conhecimentos que podem ser mensurados de alguma forma. Aqui entram cursos, certificações, e qualquer habilidade específica de uma área de atuação, e costumam estar listados nos currículos dos profissionais sob Educação, Cursos e Especializações, etc, 

 

São exemplos de Hard Skills: 

Fluência em língua estrangeira;

Graduações, cursos técnicos, pós-graduações e especializações;

Workshops, cursos rápidos e palestras;

Domínio de ferramentas específicas à área de atuação.

 

Os hard Skills e a educação, seja ela formal ou informal, atestam conhecimentos teóricos, práticos e operacionais sobre a função, e costumam ser requisitos da primeira triagem de currículos, mas é  preciso adaptar a metodologia de seleção para abranger também os soft skills ideais de uma função para atrair candidatos que se identificam mais e se adaptam melhor – e então investir no desenvolvimento destas habilidades. 

 

Frontall Select é a solução ideal na busca por colaboradores competentes e em sintonia com os desejos de empresa. Nossa metodologia de recrutamento e seleção inclui a montagem de um perfil ideal, unindo os soft e hard skills mais relevantes a testes práticos, teóricos, comportamentais e psicológicos. Fale com nossos especialistas e solicite agora uma proposta. 

 


Mobilização pelo Emprego e Produtividade no Paraná

Na manhã do dia 13 de junho, cerca de 300 empresários estiveram presentes no lançamento do programa Mobilização pelo Emprego, iniciativa do Ministério da Economia e SEPEC (Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade), com apoio de governos Estaduais e SEBRAE, e participação de Edson Campagnolo, presidente da FIEP, do governador do Estado do Paraná, Carlos Ratinho Massa Júnior, do presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles e do secretário nacional de Desenvolvimento, Indústria, Comércio, Serviços e Inovação, Caio Megale.

Nosso Diretor de Estratégia e Inovação, Ariel Silva, participou do evento e fez da Frontall uma aliada na busca pela desburocratização do ambiente de negócios através da assinatura da Carta de Curitiba, documento apresentado por Edson Campagnolo, que manifesta apoio incondicional dos representantes do setor produtivo à Paulo Guedes e todas as medidas do governo que visem iniciar um ciclo virtuoso na economia.

Com o objetivo de percorrer o país para mapear obstáculos, apresentar soluções e disseminar inciativas que incentivem a produtividade e a competitividade das economias locais, a Mobilização se estrutura em macro planos como a eliminação dos obstáculos, modernização e digitalização das empresas, acesso facilitado à trabalhadores qualificados, incentivo aos pequenos negócios e participação privada na infraestrutura econômica do país.

Segundo Carlos Alexandre da Costa, secretário especial da SEPEC, se trata de “uma agenda focada em pilares que vão atacar os grandes problemas brasileiros”, começando pela reforma da previdência, privatizações e reforma do Estado. Através de um aplicativo lançado em 3 de maio, empresários de todo o país podem contribuir para o mapeamento das principais dificuldades que enfrentam e participar das iniciativas que ajudam a melhorar o ambiente de negócios em uma região.

O Paraná é o terceiro estado a receber o programa. Tendo se posicionado em 4°lugar na geração de postos de trabalho no primeiro quadrimestre deste ano, espera continuar motivado e pretende gerar 500mil novos empregos nos próximos 4 anos através da implementação de iniciativas desenvolvidas de acordo com as maiores dificuldades mapeadas no estado.


Porque, como e quando terceirizar? Tudo sobre a Terceirização de Serviços

Diante de um mercado exigente, é fundamental atuar na otimização de processos e na redução de despesas.

A Terceirização de Serviços é uma alternativa que faz parte das estratégias corporativas para alcançar bons resultados sem perder foco do core business.  

  

O que é Terceirização?  

Terceirizar é contratar uma empresa para realizar funções dentro de outra empresa. 

 Imagine que uma empresa seja focada em confecção de roupas e precise do suporte de um cargo técnico, como TI. Ao terceirizar este serviço, a empresa deixa de lidar com a administração direta dos funcionários, economiza – já que é mais vantajoso do que manter uma equipe interna – e pode direcionar esta economia de tempo e dinheiro à investimentos que fortaleçam seu core business, sem abrir mão do auxílio de profissionais qualificados. 

 

Porque terceirizar? 

Com a promulgação da lei 13.429/17, foi regularizada a terceirização de serviços no Brasil, possibilitando a terceirização de atividade fim, bem como a de atividade-meio. Esta abertura em relação à antiga norma permite que as empresas contratem profissionais qualificados de uma maneira mais vantajosa, reduzindo ocorrências de ociosidade ou sobrecarga da equipe, por exemplo.  

 

Outras vantagens: 

 

-Melhora na qualidade dos serviços – Conte com profissionais especializados e capacitados a desempenhar atividades com excelência.  

 

- Segurança na contratação – A empresa responsável pela terceirização precisa atender à várias normas para garantir que o profissional cumpra os requisitos básicos para a realização da atividade, e precisa garantir que na ausência do trabalhador temporário um profissional backup assuma as atividades para não prejudicar a empresa contratante.  

 

-Cumprimento às leis e normas – Em alinhamento às questões de segurança, a regularidade dos compromissos fiscais, sociais e trabalhistas é garantida em todos as etapas da contratação. 

 

Redução de gastos – A empresa responsável pela terceirização é encarregada de todos os processos contratuais e gerenciais, questões de segurança, salários e benefícios.   

 

Quando terceirizar sua mão de obra?  

Se você deseja diminuir gastos, otimizar processos, priorizar investimentos ou qualificar as operações, a terceirização pode ser a alternativa ideal para seu negócio. 

Conte com nossa expertise em terceirização de serviços nas áreas técnicas, operacionais e administrativas para otimizar seus resultados com agilidade e segurança 

 

Frontall Terceirização – Gestão completa de serviços 

Equipes Especializadas - Após recrutamento e seleção precisos, disponibilizamos uma equipe treinada e pronta para atender às necessidades de sua empresa. 

Áreas de Atuação -  Atendimento, recepção, portaria, logística e apoio administrativo.  

Cobertura de Ponta a Ponta - Da seleção à contratação, uniformes, EPI’s, segurança do trabalho, E-social, à folha de pagamento e desligamento: nós cuidamos de tudo pra você focar só no que importa: sua empresa e seus resultados. Nossos postos de trabalho contam com ponto digital, possibilitando ao cliente o acompanhamento online. 

Confiança e Credibilidade - 7 anos de mercado e 12 mil colaboradores geridos por nós. Faça parte desta rede de sucesso! 


Guia do Estágio: tudo o que você precisa saber sobre este modelo de contratação

O estágio é essencial para completar a experiência acadêmica — É pondo em prática os conhecimentos adquiridos durante a faculdade que o estudante conhece melhor sua futura área de atuação.

Este formato de contratação cresceu 23,8% entre 2018 e 2019 e continua apresentando projeções positivas para os próximos semestres, já que a diminuição de ofertas de empregos formais faz com que os jovens procurem outras oportunidades no mercado de trabalho.

É a hora certa de investir na contratação de estagiários! Continue lendo e conheça todas as vantagens deste serviço. 

 

1- Por que contratar estagiários?  

Se, para um estudante, o estágio é a oportunidade perfeita para entrar no mercado de trabalho, para as empresas é uma maneira vantajosa de reforçar uma equipe e cumprir com as demandas em crescimento.  

  • Livre de encargos trabalhistas 

Já que não representa um vínculo empregatício, a contratação de estagiários é bastante econômica. 

“Por não ser empregado, o estagiário não é cadastrado no PIS/PASEP, não faz jus ao aviso prévio em caso de rescisão contratual nem a 13º salário; ao estagiário, também, não se aplicam as obrigações relativas a contrato de experiência, contribuição sindical, aviso prévio, 1/3 sobre férias (recesso) e verbas rescisórias. Sobre a bolsa-auxílio não incidem contribuições para o INSS, nem para o FGTS.” (Lei 11.788, de 25 de setembro de 2008).  

  • Contrato e obrigações 

Bolsa auxílio, vale-transporte e recesso remunerado são direitos do estagiário, e demais benefícios, como assistência médica, vale-alimentação, comissões, etc. podem ser oferecidos, mas não configuram vínculo empregatício. 

Se houver interesse por ambas as partes, o  contrato de estágio pode se tornar um contrato de trabalho efetivo em até 2 anos — período de máxima duração do estágio. 

 

Neste caso, o profissional já foi preparado de acordo com os parâmetros de cultura e modelo de trabalho adotado internamente, eliminando quase completamente os esforços de adaptação à nova jornada que seriam necessários se houvesse a contratação de um profissional que veio de outra empresa.

 

2- Quem pode ser estagiário? 

Estudantes a partir dos anos finais do ensino fundamental, ensino médio, de educação profissional, educação especial e ensino superior regularmente matriculados e frequentando uma instituição de ensino.

  • O vínculo com a instituição de ensino é indispensável:

Além de responsável pelo acompanhamento do estudante durante o estágio, é a ponte entre o conteúdo e a prática. 

 

  • Jornada de estágio

A carga horária de estágio não pode ultrapassar 4 horas diárias e/ou 20 semanais para estudantes da educação especial e fundamental, e 6 horas diárias e/ou 30 semanais para estudantes do ensino médio, técnico e superior. 

 

3- Quando contratar estagiários? 

Eles estão prontos para conquistar o mercado de trabalho e vivenciar todas as experiências da profissão!

  • Seja para lidar com o aumento de demandas, fortalecer a equipe ou contribuir com o desenvolvimento dos profissionais que em breve estarão no mercado de trabalho, a contratação de estagiários pode ser feita a qualquer momento, de maneira simples. 

 

Um olhar estratégico para o futuro envolve investir em jovens talentos desde seus primeiros passos na jornada profissional.

Você está pronto para ajudar a desenvolver novos profissionais enquanto sua empresa cresce

Conte conosco!

 

A Frontall Júnior é a central de estágios ao alcance das mãos: 

— Selecionamos os melhores candidatos nas áreas técnicas e administrativas das maiores instituições de ensino: nosso banco de dados está em constante crescimento. 

— Oferecemos suporte profissional e psicológico durante todo o contrato, valorizando e desenvolvendo ainda mais o estagiário. 

— Conte com suporte administrativo completo e especializado, de ponta a ponta: cuidamos de todas as etapas de seleção e contratação de estagiários, com cumprimento das leis e regulamentos da modalidade. 

— Leadtime vantajoso: Nosso processo de recrutamento seleciona estagiários em até 10 dias.  

Fale com nossos especialistas em Central de Estágios e solicite uma proposta!

Banner Frontall Júnior

 


Os direitos do Trabalhador Temporário

Modalidade de contratação cada vez mais utilizada, a contratação de trabalhadores temporários pode ser uma alternativa eficaz para diversas empresas. Porém, algumas dúvidas podem surgir sobre os direitos destes trabalhadores.

Abaixo, listamos alguns desses direitos, para que empregadores e trabalhadores fiquem atentos.

  • Jornada de oito horas, com remuneração de horas extras – não podendo ultrapassar o limite de duas horas diárias;
  • Férias proporcionais ao tempo trabalhado;
  • Adicional por trabalho noturno;
  • Indenização por dispensa sem justa causa ou término normal do contrato – 1/12 (um doze avos) do pagamento recebido;
  • Recolhimento para o INSS;
  • Repouso semanal remunerado;
  • Seguro contra acidente de trabalho;
  • Carteira assinada.

A Reforma Trabalhista tornou a contratação de funcionários temporários mais vantajosa, tanto para a empresa, quanto para o contratado. Para a empresa, um dos pontos mais vantajosos foi a extensão do prazo máximo de contrato, que pode ser de 180 dias com a prorrogação de mais 90 dias – somando 270 dias no total.

 

Está precisando de funcionários de funcionários temporários? A Frontall tem o serviço perfeito para isso.

Conte com a nossa experiência e conhecimento para encontrar o profissional mais adequado para a sua necessidade e muito mais!

 

Frontall Flex – Serviços Temporários

A contratação que se ajusta à sua necessidade.


Os principais benefícios da terceirização para sua empresa

Prática muito comum em diversas empresas, a terceirização de serviços vem se tornando cada vez mais uma opção viável para diversos ramos. Isso porque, com a reforma trabalhista, os pontos positivos deste tipo de contratação só aumentam.

Confira abaixo alguns benefícios da contratação de serviços terceirizados:

  • Possibilidade de ter profissionais mais experientes e especializados

A terceirização da à empresa a possibilidade de ter apenas profissionais especializados e/ou experientes para exercerem cada atividade necessária com maior excelência e qualidade no serviço. Além disso, a empresa não precisa ter gastos com especialização da mão de obra, uma vez que a responsabilidade pela qualificação destes profissionais é da prestadora de serviços.

  • Otimização do tempo

Considerando que algumas atividades que antes seriam da empresa, passam a ser de responsabilidade da prestadora de serviços, é possível que haja uma otimização do trabalho de gestores e demais profissionais da empresa, além de ocasionar uma redução na sobrecarga de trabalho.

Assim, todos os esforços podem ser direcionados para as tarefas mais importantes, como análises e tomadas de decisões. É importante lembrar que, por mais que a prestadora de serviços tenha muita responsabilidade pelos profissionais, a empresa ainda deve supervisionar os serviços terceirizados.

  • Manter o foco no que realmente importa

A terceirização de serviços pode trazer grandes benefícios, inclusive a possibilidade de manter gestores focados nos negócio e estratégias da empresa. Preocupações e responsabilidades pelas operações são compartilhadas entre a empresa e a prestadora de serviços. Assim, é possível direcionar todos os esforços atingir os resultados planejados.

  • Reduz custos operacionais

A partir da contratação de profissionais terceirizados, é possível que a empresa possua uma maior previsibilidade de custos, uma vez que nos valores pagos mensalmente às prestadoras já estão inclusos os gastos com férias, faltas, rescisões e demais encargos trabalhistas. Desta maneira, o custo-benefício desta modalidade de contratação é positivo, e acaba por colaborar com um maior equilíbrio financeiro da empresa.

Com custos menores, a empresa contratante pode dar prioridade aos seus próprios investimentos, e dedicar seus recursos para seu crescimento.

  • Possibilidade de expansão

Por último, a terceirização de serviços pode oferecer à empresa uma condição favorável de expansão, devido aos benefícios já citados, pois fica mais fácil focar, planejar e executar ações para o ganho da empresa. Ademais, por não ter que fazer grandes investimentos em infraestrutura e/ou tecnologia, a empresa consegue reduzir custos e investir em si própria.

 

E aí, pensando em contratar terceirizados? A Frontall tem o serviço perfeito para isso.

Conte com a nossa experiência e conhecimento para contratar terceirizados para diversas áreas e otimize seus resultados com agilidade e segurança.

 

Frontall Terceirização de Serviços

Para você focar só no que importa: sua empresa.


Colaboradores da Frontall têm palestra sobre LGPD

Palestra foi ministrada pelo advogado Guilherme Guimarães Rocha, colaborador na redação do Marco Civil da Internet.

Da esquerda para a direita: Mario Toews e Guilherme Guimarães Rocha, da Guilherme Guimarães Advogados Associados, Ariel da Silva, Diretor da Frontall e Adeildo Nascimento Filho, presidente da ABRH-PR.

No dia 15 de fevereiro, a Frontall teve a honra de receber o advogado e especialista em Segurança da Informação, Guilherme Guimarães Rocha, para uma palestra sobre a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados). Além do advogado, o evento contou com a presença de Mario Toews, Chief Security Officer do escritório Guilherme Guimarães Advogados Associados, e de Adeildo Nascimento Filho, atual presidente da ABRH-PR.

Sobre a Lei

Inspirada em leis europeias sobre proteção de dados, a Lei 13.709/18 – Lei Geral de Proteção de Dados, cria uma regulamentação para o uso, proteção, armazenamento e transferência de dados pessoais no Brasil, tanto no âmbito privado, quanto no público.

A LGPD visa, além de garantir o direito à privacidade dos titulares dos dados, estabelecer regras claras para as empresas a respeito do tratamento de dados pessoais, para aumentar a segurança jurídica dos envolvidos.

Para permitir que os destinatários da LGPD tenham tempo hábil para adequarem-se às novas regras, a legislação só entrará em vigor em 14 de fevereiro de 2020. A partir desta data, os agentes de tratamentos de dados que cometerem infrações, ficam sujeitos a penalidades que vão desde advertência, até pagamento de multa diária de 50 milhões de reais.

Desta forma, a palestra atingiu plenamente o objetivo de informar os colaboradores sobre as mudanças que a Lei trará, sendo um passo importante do programa efetivo de compliance desenvolvido na Frontall.

A Frontall agradece a todos os presentes e, principalmente, ao advogado Guilherme Guimarães Rocha, pelo sucesso da palestra.


Reforma Tributária, Redução de Encargos de Emprego e e-Social em pauta

Em uma audiência sobre a Reforma Tributária, Redução de Encargos de Emprego e e-Social, Danilo Padilha e Daniel Rigonatto, respectivamente presidente e diretor do SINDEPRESTEM-PR, foram recebidos por Marcos Cintra, Secretário da Receita. 


Na data de 18/01/2019, o SINDEPRESTEM-PR esteve em audiência com o Secretário Especial da Receita Federal, Marcos Cintra, onde reforçou seu posicionamento a respeito da Reforma Tributária. O Sindicato defendeu, também, que os encargos sobre a folha de pagamento sejam substituídos por imposto com base em movimentações financeiras.  

Na ocasião, o Secretário sugeriu aproveitar a Reforma da Previdência para discutir a respeito dos desafios das receitas previdenciárias e expôs sua opinião sobre a necessidade de substituição do modelo de contribuição sobre a folha de pagamento por outro com base financeira, em razão de o primeiro inibir o emprego formal e tender à uma estagnação na arrecadação. Tal proposta recebeu apoio de todos os presentes.  

Durante a audiência, foram apresentadas, também, algumas propostas complementares de melhorias no ambiente de negócios. A sugestão do vice-presidente nacional da FENAVIST, José Jacobsen Neto, seria uma alternativa para evitar fraudes no FGTS, a partir da retenção de 2,5% da fatura no caso de prestação de serviços de mão-de-obra. Esta medida, além de proteger os trabalhadores, iria evitar a concorrência desleal por parte de sonegadores.  

Na discussão sobre a implementação do e-Social, Fernando Cavelt, vice-presidente do SINDEPRESTEM-SP, afirmou que este peca pelo excesso de detalhismo e vem criando dificuldades. Já o diretor do SINDEPRESTEM-PR, Daniel Rigonatto, explicou à Marcos Cintra que o engessamento do processo de medicina do trabalho poderá inviabilizar as contratações, devido à complexidade da burocracia obrigatória e altos custos. Entretanto, o Secretário Marcos Cintra informou que o que o e-Social ajudará a nivelar o mercado e evitará quer empresas inidôneas continuem a atuar no mercado, prejudicando e impedindo a evolução de empresas corretas.  

Ao final da reunião, Cintra – que recebeu abertamente todas as propostas – colocou-se à disposição para dar continuidade ao diálogo e reafirmou a prioridade dos temas tratados. O Secretário também informou que conta com o apoio e mobilização do setor de Serviços, e recebeu os agradecimentos dos presentes, como o presidente e o diretor do SINDEPRESTEM-PR, Danilo Padilha e Daniel Rigonatto, respectivamente, e o vice-presidente do SINDEPRESTEM-SP, Fernando Calvet. 


Calm over the horizon

Many years ago, I worked for my parents who own a video production company. Because it is a family business, you inevitably end up wearing many hats and being the czar of many different jobs. I mainly managed projects and worked as a video editor. On production, there were times that I was called on to work as an audio tech and was made to wear headphones on long production days. In those days, having a really good set of headphones that picked up every nuance of sound was essential to making sure the client got what they needed.

First impressions.

Naturally, my first impression of these headphones is based off of the look of them. They have a classic over-the-ear style that is highlighted by a blue LED light that indicates the power for the noise canceling. The padding on the ear pieces seems adequate for extended usage periods.

They are wired headphones, but the 3.5mm stereo mini-plug cable is detachable. Something else I noticed right of the bat was the very nice carrying case that comes with them. It has a hard plastic exterior with a soft cloth interior that helps to protect the surface of the headphones from scratches. I never truly appreciated cases for headphones until I started carrying them from place-to-place. Now I can’t imagine not having a case.

A perfect fit.

Once I gave the headphones a thorough once-over exam, I tried them on. As I mentioned, they have a classic over-the-ear style and just looking at them, the padding on the ear pieces seem adequate and the peak of the headband seemed to be a bit lacking, but you don’t really know comfort unless you try on the product. So, I slipped the headphones on and found them to be exquisitely comfortable.

Quality.

Now that I had the headphones on my head, I was finally ready to plug and play some music. I plugged the provided cable into the jack on the headphones and then the one on my iPhone 6. Then I called up Pandora. I tend to have a very eclectic music purview and have many stations set up for different moods. From John Williams to Fallout Boy, the sound quality of these headphones was remarkable. There is an amazing depth of sound and incredible highs and lows that make listening to music a truly breathtaking experience.

It’s safe to say that because of my unique professional experiences, I’ve tested out a lot of headphones.

In order to test how voices sounded, and the overall art of sound mixing, I pulled up Netflix on my iPad Air 2 and watched a few minutes of a movie to hear all the nuances of the film. None of them were lost. In fact, I ended up hearing sounds that I hadn’t heard before. Echoes…birds chirping…wind blowing through trees…breathing of the characters…it was very impressive what the headphones ended up bringing out for me.

I would highly recommend these to any sound mixing specialist.


Inspired by clouds

Take your time.

I’ve got a Fujifilm X100s. It runs about $1300. It’s easily the best camera I’ve ever owned. I take care of it as best as I can, but I don’t let taking care of it impact the photography. Let me elaborate on that a bit better. You’ll get better at each section of what we talked about slowly. And while you do, you’ll be amazed at how much easier it all is and how the habit forms. The best way to get better at photography is start by taking your camera everywhere. If you leave your house, your camera leaves with you. The only exception is if you’re planning for a weekend bender — then probably leave it at home. Other than that, always have it slung over your shoulder. It would probably help to get an extra battery to carry in your pocket. I’ve got three batteries. One in my camera, one in my pocket, one in the charger.

When it dies, swap them all.

For me, the most important part of improving at photography has been sharing it. Sign up for an Exposure account, or post regularly to Tumblr, or both. Tell people you’re trying to get better at photography. Talk about it. When you talk about it, other people get excited about it. They’ll come on photo walks with you. They’ll pose for portraits. They’ll buy your prints, zines, whatever.

Clouds come floating into my life, no longer to carry rain or usher storm, but to add color to my sunset sky.

— Rabindranath Tagore

Breathe the world.

I’ve got a Fujifilm X100s. It runs about $1300. It’s easily the best camera I’ve ever owned. I take care of it as best as I can, but I don’t let taking care of it impact the photography. Let me elaborate on that a bit better. You’ll get better at each section of what we talked about slowly. And while you do, you’ll be amazed at how much easier it all is and how the habit forms. The best way to get better at photography is start by taking your camera everywhere. If you leave your house, your camera leaves with you. The only exception is if you’re planning for a weekend bender — then probably leave it at home. Other than that, always have it slung over your shoulder. It would probably help to get an extra battery to carry in your pocket. I’ve got three batteries. One in my camera, one in my pocket, one in the charger. When it dies, swap them all.

For me, the most important part of improving at photography has been sharing it. Sign up for an Exposure account, or post regularly to Tumblr, or both. Tell people you’re trying to get better at photography. Talk about it. When you talk about it, other people get excited about it. They’ll come on photo walks with you. They’ll pose for portraits. They’ll buy your prints, zines, whatever.

Heavy hearts, like heavy clouds in the sky, are best relieved by the letting of a little water.

— Christopher Morley

Enjoy the morning.

The best way to get better at photography is start by taking your camera everywhere. If you leave your house, your camera leaves with you. The only exception is if you’re planning for a weekend bender — then probably leave it at home. Other than that, always have it slung over your shoulder. It would probably help to get an extra battery to carry in your pocket. I’ve got three batteries. One in my camera, one in my pocket, one in the charger. When it dies, swap them all.

For me, the most important part of improving at photography has been sharing it. Sign up for an Exposure account, or post regularly to Tumblr, or both. Tell people you’re trying to get better at photography. Talk about it. When you talk about it, other people get excited about it. They’ll come on photo walks with you. They’ll pose for portraits. They’ll buy your prints, zines, whatever. I’ve got a Fujifilm X100s. It runs about $1300.

It’s easily the best camera I’ve ever owned. I take care of it as best as I can, but I don’t let taking care of it impact the photography. Let me elaborate on that a bit better. You’ll get better at each section of what we talked about slowly. And while you do, you’ll be amazed at how much easier it all is and how the habit forms.

There are no rules of architecture for a castle in the clouds and this is real.

— Gilbert K. Chesterton

Free your mind.

The best way to get better at photography is start by taking your camera everywhere. If you leave your house, your camera leaves with you. The only exception is if you’re planning for a weekend bender — then probably leave it at home. Other than that, always have it slung over your shoulder. It would probably help to get an extra battery to carry in your pocket. I’ve got three batteries. One in my camera, one in my pocket, one in the charger. When it dies, swap them all.

I’ve got a Fujifilm X100s. It runs about $1300. It’s easily the best camera I’ve ever owned. I take care of it as best as I can, but I don’t let taking care of it impact the photography. Let me elaborate on that a bit better. You’ll get better at each section of what we talked about slowly. And while you do, you’ll be amazed at how much easier it all is and how the habit forms.

For me, the most important part of improving at photography has been sharing it. Sign up for an Exposure account, or post regularly to Tumblr, or both. Tell people you’re trying to get better at photography. Talk about it. When you talk about it, other people get excited about it. They’ll come on photo walks with you. They’ll pose for portraits. They’ll buy your prints, zines, whatever.

Photography is better shared.