RH 4.0 - Revolução Tecnológica na Gestão de RH

Conectar, integrar, relacionar e automatizar para aumentar a produtividade, economizar tempo e recursos: como o uso da tecnologia vêm ganhando força e se tornando prioridade nas empresas que querem se manter à frente no mercado da transformação digital. 

A chamada revolução tecnológica, ou 4.0, tem o conceito de relacionar máquinas e sistemas para a criação de redes inteligentes de produção praticamente autônomas, encurtando processos em todos os setores de uma empresa facilitando a tomada de decisões dos gestores.  

A revolução tecnológica não é apenas sobre tecnologia, mas sobre a interação das pessoas com a tecnologia. Na área de Recursos Humanos, auxilia os profissionais a desburocratizar funções por meio da automatização de tarefas recorrentes; facilita o trabalho em equipe com a disponibilização de documentações e arquivos online; simplifica processos seletivos e analisa desempenhos com dados precisos, usando os indicadores para investir na capacitação do profissional.  

Na Frontall, contamos com um departamento de Qualidade dedicado a tornar nossos processos mais eficientes por meio da tecnologia. Utilizamos as ferramentas da Microsoft, como Azure, Sharepoint, PowerApps e PowerBI, bem como softwares de automatização - RPA (Robotic Process Automation), que aceleram os processos repetitivos, fazendo em minutos o que demoravam horas a serem realizados, com a certeza de que todos os procedimentos foram executados. 

A automatização, robotização, treinamento e acompanhamento da produtividade de cada funcionário já são realidades em nossos setores, refletindo também na gestão mais estratégica e simplificada de funcionários terceirizados,  estagiários e temporários.  


Gestão Estratégica de Pessoas

Dia após dia, as empresas estão incluindo ações mais focadas na melhoria dos fatores que colaboram para a satisfação total dos colaboradores e para o crescimento saudável da organização.  

A Gestão de Pessoas garante o engajamento do colaborador à missão, valores e objetivos da empresa, desenvolve competências profissionais e pessoais, além de otimizar produtividade.

Independente da área de atuação de uma companhia, as técnicas e práticas chamadas Pilares da Gestão de Pessoas (Capacitação, Comunicação, Liderança, Processos e Trabalho em Equipe) podem ser aplicadas para administrar comportamentospotencializar equipes e indivíduos, tornar a rotina mais prazerosa e contribuir para um ambiente de trabalho mais agradável e produtivo.  

Um RH estratégico consegue visualizar que seus colaboradores estão por trás de todo bom resultado, e é justamente esta a importância da Gestão de Pessoas. 

Frontall RH auxilia no desenvolvimento das empresas por meio de serviços de Terceirização, Trabalho Temporário, Recrutamento e Seleção, e Central de Estágios com suporte completo e especializado para uma Gestão de Pessoas estratégica que reflita em seus resultados. 


Direitos Humanos e Trabalho

10 de dezembro - Dia Internacional dos Direitos Humanos. 

A data celebra o dia em que 58 países assinaram, em 1948, a Declaração Universal dos Direitos Humanos – documento que enumera, em 30 artigos, os direitos civis, sociais, políticos, culturais e trabalhistas básicos para todos os cidadãos.

Valorizar e Respeitar o Ser Humano faz parte de nossa missão, e é por isto que estamos lado a lado à ONU e aos ODS’s: através da construção de um mercado de trabalho mais justo e acessível, contribuímos com o  desenvolvimento da sociedade e com o movimento global pelos direitos humanos.  

Artigo XXIII 

  1. Todo ser humano tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.

Conheça a Frontall e todas as nossas ações para um futuro mais humano e desenvolvido.


Selecionador de Pessoas – Profissional essencial para o sucesso da contratação

Selecionar um novo colaborador que esteja dentro do padrão da empresa e apto para uma vaga é a principal tarefa do Selecionador de Pessoas 

Seu trabalho começa por entender as necessidades da empresa para definir um perfil desejável para o futuro colaborador, levando em conta as expectativas e cultura da empresa. Após a divulgação da vaga, a triagem dos currículos começa com os parâmetros definidos na etapa anterior do processo como referência.

Dependendo da metodologia do Selecionador – ou recrutador, como também é conhecido – os candidatos podem ser coletados em bancos de dados online ou próprios, e até redes sociais como o Linkedin. A triagem otimiza tempo e auxilia o cumprimento do prazo determinado pela empresa, garantindo que apenas os candidatos mais adequados passem para as próximas etapas da seleção.   

A entrevista deve ser o passo seguinte. Segundo Stephany Pontes, Psicóloga da Frontall, é importante que além da seleção do currículo, o selecionador combine leitura corporal e análise de comportamento para ter um julgamento mais exato da personalidade e postura do candidato.   

É necessário entender que, principalmente no primeiro contatoé normal que nervosismo e a timidez afetem o desempenho de um forte candidato. Então, um momento de humanidade e empatia às vezes faz grande diferença na hora de acertar na contratação. Uma das técnicas que utilizamos é o Rapport, que me auxilia muito na hora de criar uma sintonia e abertura com o candidato, assim eu consigo deixá-lo mais relaxado durante o processo de entrevista”, completa Stephany 

Além da triagem de currículos e agendamento de entrevista, a seleção pode contar com a realização de testes teóricos, práticos e psicológicos, dinâmicas de grupo e entrevistas secundárias até a contratação ser realizada. Estas etapas dependem das necessidades da empresa, portanto preparação e flexibilidade são essenciais para o profissional de Recrutamento e Seleção encontrar o melhor candidato.  

Há oito anos Frontall identifica e desenvolve talentos para vagas técnicas, administrativas e operacionais, com suporte completo desde a definição do perfil do candidato com o cliente, até a administração dos funcionários terceirizados, temporários e estagiários.


Fim da estabilidade de gestante no contrato temporário – Lei nº 6.019/74

O Tribunal Superior do Trabalho decidiu pela inaplicabilidade da estabilidade da gestante, ontem, dia 18 de novembro de 2019.

Com este novo decreto as empresas de trabalho temporário, bem como as tomadoras de serviços, não mais precisarão se preocupar com a insegurança jurídica que existia até então. A medida vale desde que o contrato seja encerrado por término do motivo justificador da sua contratação, ou após o término do prazo máximo legal permitido para a manutenção do contrato.

"O respectivo contrato possui prazo pré-determinado, assim tornando-se totalmente incompatível com a modalidade, e ainda ressaltando a dificuldade de as Empresas absorverem essas trabalhadoras gestantes sem alterar o seu quadro de trabalhadores efetivos", explicou a advogada Joelma de Matos Dantas, gerente executiva do SINDEPRESTEM e da FENASERHT, que continua: “Esse julgamento foi de extrema importância para o segmento do Trabalho Temporário, porque firmou um entendimento único sobre um tema um tanto controverso, criando assim uma segurança jurídica que será de proveito tanto para os trabalhadores temporários quanto para os empregadores”, explicou.

Esta vitória se deu pelo excepcional trabalho feito por, dentre outras, a ASSERTTEM (Associação Brasileira do Trabalho Temporário), uma das grandes parceiras da Frontall. Hoje empresas e mulheres comemoram esta vitória.


Impactos da Medida Provisória N° 905/2019 no Mercado de Trabalho

Nesta última sexta-feria, dia 22 de novembro, o advogado trabalhista da Frontall RH Alexandre Szymanski , ministrou uma palestra para nossos clientes e colaboradores sobre os Impactos da Medida Provisória N° 905/2019 no Mercado de Trabalho.

“A medida é provisória e pode ser revogada ou prorrogada, porém, independentemente de ser provisória, essa medida proporciona um ambiente propício para novos contratos. Já que mesmo que seja revogada, os contratos firmados durante a vigência da MP, desde que não haja modulação de efeitos do Legislativo, permanecerão valendo,” enfatiza Alexandre.

O Contrato de Trabalho Verde e Amarelo tem como beneficiários jovens entre dezoito e vinte e nove anos de idade, para fins de registro do primeiro emprego em Carteira de Trabalho e Previdência Social.  Porém, esta nova modalidade de contratação é limitada por até 24 meses, a 20% do total de trabalhadores da empresa e com salário-base mensal de até um salário-mínimo e meio nacional.

Nesse novo modelo de contrato de trabalho, garante-se aos jovens os direitos previstos na Constituição e na CLT, nas convenções e acordos coletivos de trabalho da categoria a que pertençam naquilo que não for contrário ao disposto na Medida Provisória, além de extinguir a contribuição social devida pelos empregadores, em caso de rescisão do empregado sem justa causa, à alíquota de dez por cento sobre o montante de todos os depósitos devidos, referentes ao FGTS. Tal extinção já foi objeto do Projeto de Lei de Conversão nº 29, de 2019, oriundo da MPV nº 889, de 2019.

Altera também a Consolidação das Leis do Trabalho (aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1943) para, entre outras medidas, autorizar o armazenamento em meio eletrônico de documentos relativos a deveres e obrigações trabalhistas, autorizar o trabalho aos domingos e aos feriados e simplificar a legislação trabalhista em setores específicos.


Six Sigma: Um método que auxilia melhorias de processos e organizações

Utilizado internacionalmente, o Six Sigma visa melhorar o desempenho de processos, produtos ou serviços, sempre com foco no cliente e trabalhando preventivamente a fim de obter um melhor nível de qualidade e um menor nível de desvios, como o próprio nome da metodologia sugere.

Sigma é uma letra grega que representa desvio padrão. Na metodologia é considerado 1-sigma o nível mais baixo, onde encontramos grandes quantidades de não conformidades e o nível 6-sigma o mais alto nível de excelência – o “Six Sigma”, onde temos um resultado da aplicação de 3,4 / por milhão ou menos fora de especificação.

 O Six Sigma propõe um procedimento com cinco fases chamado DMAIC, onde:

D – Definir

M – Medir

A – Analisar

I – Incrementar

C – Controlar

Para entender melhor como aplicar o DMAIC, daremos uma breve explicação sobre cada um dos pontos.

Definir – É o momento em que o projeto e a equipe são definidos para iniciar as melhorias. Para iniciar o projeto, a equipe precisa entender quais são os pontos de importância para o cliente, a fim de determinar qual deverá ser o desempenho final.

Medir – Nesta fase o escopo do problema é definido e com base em coleta de dados é medido o desempenho do processo, analisando todas as suas etapas.

Analisar – São analisados dados para definir as causas e fatores que influenciam no desempenho do processo. É realizada a análise da causa-raiz.

Incrementar – É a fase onde devemos desenvolver soluções para tratar as causas analisadas na fase anterior, a fim de reduzir e a variação no processo.

Controlar – Para garantir a eficiência e sustentabilidade das ações propostas é necessário implementar controles e procedimentos, fazendo com que o desempenho seja sempre alto.

Em cada fase do projeto, são utilizadas diversas ferramentas e técnicas, como: diagrama SIPOC, mapeamento de Processo Atual (AS IS) e futuro (TO BE), FMEA, Pareto, Histograma, Capacidade do processo, entre outras.

Para identificar os níveis de experiência em Six Sigma, foram utilizadas nomenclaturas das artes marciais:

White Belt: Conceitos básicos de Six Sigma;

Yellow Belt: Tem conhecimento das fases DMAIC e de ferramentas simples de processos como: conceito de variação, mapeamento de processos, brainstorm e análise da causa-raiz;

Green Belt: Além dos conhecimentos dos níveis anteriores, já possuem capacidade de realizar análise da dados utilizando estatísticas;

Black Belt: São especialistas em Six Sigma, lideram e executam projetos mais complexos, utilizando analises estatísticas e ferramentas de qualidades mais avançadas;

Master Black Belt: Atuam como instrutores em Six Sigma.      

A Frontall RH utiliza o Six Sigma não só para garantir a qualidade do serviço, como também é uma ferramenta que auxilia a medir as expectativas dos clientes, analisar as causas que influenciam o desempenho e identificar soluções para corrigir práticas implementadas que não tiveram o efeito esperado.


Frontall RH chega a Irati/PR com tecnologias de reconhecimento facial e trâmites de documentação online para facilitar a contratação de temporários e terceirizados.

O aumento das tecnologias digitais facilita a automação de processos que antes eram complicados. A Frontall RH chega a Irati no mês de novembro para facilitar e diminuir custos nos processos de contratação para os empresários da região.

O número de tarefas e processos nas empresas são incontáveis. O advento da tecnologia está cada vez mais frequente no nosso dia a dia nos auxiliando na otimização do tempo investido em cada processo.

Essa otimização se dá por conta da automatização dos processos internos que a tecnologia nos proporciona, além de auxiliar as empresas a torná-los menos operacionais, aumentando a produtividade de seus colaboradores.

Uma das tecnologias que vem auxiliando o departamento de RH da Frontall é o ponto por reconhecimento facial. Como o próprio nome sugere, este sistema permite que o rosto do colaborador que está registrando o ponto passe por um escaneamento para garantir sua identidade. Ao ser reconhecido pelo sistema, por meio de determinadas áreas que estão presentes em todos os rostos, o ponto é registrado com todos os dados do colaborador, além do horário e local em que o registro acontece. Essas áreas são chamadas de pontos nodais, que costumam ser únicas, e são elas que permitem que a biometria facial seja um sistema praticamente sem falhas.

O sistema funciona de um modo bastante parecido com o algoritmo utilizado nas redes sociais que permitem que o usuário marque seus amigos nas fotos dando, inclusive, sugestões de marcações.

Outras tecnologias que auxiliam a Frontall na otimização do tempo e oferecer valores mais acessíveis é a utilização do E-Social, (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas). Por meio desse sistema, fazemos todas as comunicações direcionadas ao governo de forma unificada, como informações relativas aos trabalhadores, vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, aviso prévio, escriturações fiscais e informações sobre o FGTS.

A transmissão eletrônica desses dados simplifica a prestação das informações referentes às obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, reduzindo a burocracia para as empresas.

A Frontall utiliza como base os sistemas da Microsoft, onde são realizados todos os trâmites de documentação com candidatos e funcionários via web, com toda a segurança de dados e compliance da Microsoft, que é totalmente online, otimizando o tempo de contratação e diminuindo os custos para as empresas, candidatos e novos colaboradores.

Todas estas tecnologias auxiliam nos processos de contração de colaboradores temporários, terceirizados e estagiários.

Mão De obra temporária e terceirização: formas ágeis, seguras e econômicas de contratar.

Visto que em épocas festivas, períodos sazonais de aumento de produção ou necessidade de um colaborador para cobrir período de ausência de outro funcionário em licença ou férias, é inevitável a contratação extra por um determinado tempo. Para isto, a forma mais simples e acessível é a admissão de colaboradores temporários. Além de não gerarem nenhum custo adicional, como aviso prévio indenizável ou multa do FGTS, o recrutamento fica por conta da Frontall, passando a ser uma alternativa mais segura e econômica.

Da mesma forma, oferecemos profissionais terceirizados qualificados e treinados para funções no segmento operacional, técnico e administrativo, onde proporcionamos aos nossos clientes, total controle de qualidade de mão de obra.

Tudo isso sempre visando a otimização de tempo e custo. Por isso a Frontall está em constante busca de novas tecnologias que possam oferecer mais comodidade aos nossos clientes e colaboradores.

E agora a Frontall chega a Irati para proporcionar a região tecnologias de ponta e facilitar a vida das pessoas que estão em busca de uma recolocação no mercado, além de auxiliar empresas que buscam otimização de tempo e custo para seus processos de recrutamento, seleção e contratação.


Soft Skills e Hard Skills: as habilidades que todo RH deve procurar num candidato.

Skill é um termo que vêm do Inglês e significa habilidade, conhecimento.

No contexto dos Recursos Humanos, é comum ouvirmos falar em Skills de maneira geral, como itens que compõem o currículo de um candidato e que os qualificam para determinada posição em uma empresa.  

O que muitos ignoram é que estes skills podem ser categorizados de acordo com as políticas da empresa, seus valores, prioridades, perfil ideal, ...E esta diferenciação pode ser decisiva num processo seletivo. Quer entender como?  

 

Soft Skills 

De forma sintética, os Soft Skills são aprendidos por experiência - abrangem habilidades comportamentais, de organização, colaboração e comunicação, entre outros - que se relacionam com a personalidade e os valores do candidato. 

Para as empresas, a importância de cada soft skill costuma variar bastante. É necessário definir na hora em que o perfil da vaga é traçado quais são os soft skills mais adequados para o profissional, levando em conta os valores da empresa, o clima organizacional e as carências de habilidades das equipes que se relacionarão diretamente com o novo profissional.  

 

Alguns exemplos de Soft Skills: 

Comunicação  

Mais importante que se comunicar é se fazer entender. A habilidade de comunicar e ser compreendido só vem através da prática: fala, audição e escrita, aliadas a um pouco de persuasão são componentes fundamentais de uma comunicação efetiva.  

Resiliência 

Saber lidar com momentos ruins ou cheios de pressão, resultados inesperados e urgências é essencial para quase todas as áreas de atuação. Como costuma ser aprendida através da prática, reflexão e adequação do comportamento, este skill costuma surgir com o tempo e é valiosíssimo para as empresas que precisam se adequar às mudanças bruscas do mercado.  

Empatia 

A capacidade de ouvir, entender e se colocar no lugar do outro é outra habilidade valiosa no mercado de trabalho: internamente, esta ‘sensibilidade’ cria equipes mais unidas e lideranças mais humanas. Externamente, ajuda a compreender mais a fundo as necessidades dos clientes.  

Autogerenciamento 

Entender seu tempo é essencial para cumprir prazos. Gerenciar seu fluxo de tarefas, coordenar entregas e buscar resultados com cada vez mais eficiência são algumas características do autogerenciamento, que também abrange inteligência emocional, divisão de tarefas e gerenciamento do stress. Este tipo de Skill garante funcionários mais proativos e engajados com seus trabalhos, que se preocupam tanto com seu rendimento quanto seu bem-estar emocional. 

 Hard Skills 

Hard Skills são as habilidades e conhecimentos que podem ser mensurados de alguma forma. Aqui entram cursos, certificações, e qualquer habilidade específica de uma área de atuação, e costumam estar listados nos currículos dos profissionais sob Educação, Cursos e Especializações, etc.

 

São exemplos de Hard Skills: 

Fluência em língua estrangeira;

Graduações, cursos técnicos, pós-graduações e especializações;

Workshops, cursos rápidos e palestras;

Domínio de ferramentas específicas à área de atuação.

 

Os hard Skills e a educação, seja ela formal ou informal, atestam conhecimentos teóricos, práticos e operacionais sobre a função, e costumam ser requisitos da primeira triagem de currículos, mas é  preciso adaptar a metodologia de seleção para abranger também os soft skills ideais de uma função para atrair candidatos que se identificam mais e se adaptam melhor – e então investir no desenvolvimento destas habilidades.  

Frontall Select é a solução ideal na busca por colaboradores competentes e em sintonia com os desejos de empresa. Nossa metodologia de recrutamento e seleção inclui a montagem de um perfil ideal, unindo os soft e hard skills mais relevantes a testes práticos, teóricos, comportamentais e psicológicos. Fale com nossos especialistas e solicite agora uma proposta. 

 


Mobilização pelo Emprego e Produtividade no Paraná

Na manhã do dia 13 de junho, cerca de 300 empresários estiveram presentes no lançamento do programa Mobilização pelo Emprego, iniciativa do Ministério da Economia e SEPEC (Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade), com apoio de governos Estaduais e SEBRAE, e participação de Edson Campagnolo, presidente da FIEP, do governador do Estado do Paraná, Carlos Ratinho Massa Júnior, do presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles e do secretário nacional de Desenvolvimento, Indústria, Comércio, Serviços e Inovação, Caio Megale.

Nosso Diretor de Estratégia e Inovação, Ariel Silva, participou do evento e fez da Frontall uma aliada na busca pela desburocratização do ambiente de negócios através da assinatura da Carta de Curitiba, documento apresentado por Edson Campagnolo, que manifesta apoio incondicional dos representantes do setor produtivo à Paulo Guedes e todas as medidas do governo que visem iniciar um ciclo virtuoso na economia.

Com o objetivo de percorrer o país para mapear obstáculos, apresentar soluções e disseminar inciativas que incentivem a produtividade e a competitividade das economias locais, a Mobilização se estrutura em macro planos como a eliminação dos obstáculos, modernização e digitalização das empresas, acesso facilitado à trabalhadores qualificados, incentivo aos pequenos negócios e participação privada na infraestrutura econômica do país.

Segundo Carlos Alexandre da Costa, secretário especial da SEPEC, se trata de “uma agenda focada em pilares que vão atacar os grandes problemas brasileiros”, começando pela reforma da previdência, privatizações e reforma do Estado. Através de um aplicativo lançado em 3 de maio, empresários de todo o país podem contribuir para o mapeamento das principais dificuldades que enfrentam e participar das iniciativas que ajudam a melhorar o ambiente de negócios em uma região.

O Paraná é o terceiro estado a receber o programa. Tendo se posicionado em 4°lugar na geração de postos de trabalho no primeiro quadrimestre deste ano, espera continuar motivado e pretende gerar 500mil novos empregos nos próximos 4 anos através da implementação de iniciativas desenvolvidas de acordo com as maiores dificuldades mapeadas no estado.