Na manhã do dia 13 de junho, cerca de 300 empresários estiveram presentes no lançamento do programa Mobilização pelo Emprego, iniciativa do Ministério da Economia e SEPEC (Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade), com apoio de governos Estaduais e SEBRAE, e participação de Edson Campagnolo, presidente da FIEP, do governador do Estado do Paraná, Carlos Ratinho Massa Júnior, do presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles e do secretário nacional de Desenvolvimento, Indústria, Comércio, Serviços e Inovação, Caio Megale.

Nosso Diretor de Estratégia e Inovação, Ariel Silva, participou do evento e fez da Frontall uma aliada na busca pela desburocratização do ambiente de negócios através da assinatura da Carta de Curitiba, documento apresentado por Edson Campagnolo, que manifesta apoio incondicional dos representantes do setor produtivo à Paulo Guedes e todas as medidas do governo que visem iniciar um ciclo virtuoso na economia.

Com o objetivo de percorrer o país para mapear obstáculos, apresentar soluções e disseminar inciativas que incentivem a produtividade e a competitividade das economias locais, a Mobilização se estrutura em macro planos como a eliminação dos obstáculos, modernização e digitalização das empresas, acesso facilitado à trabalhadores qualificados, incentivo aos pequenos negócios e participação privada na infraestrutura econômica do país.

Segundo Carlos Alexandre da Costa, secretário especial da SEPEC, se trata de “uma agenda focada em pilares que vão atacar os grandes problemas brasileiros”, começando pela reforma da previdência, privatizações e reforma do Estado. Através de um aplicativo lançado em 3 de maio, empresários de todo o país podem contribuir para o mapeamento das principais dificuldades que enfrentam e participar das iniciativas que ajudam a melhorar o ambiente de negócios em uma região.

O Paraná é o terceiro estado a receber o programa. Tendo se posicionado em 4°lugar na geração de postos de trabalho no primeiro quadrimestre deste ano, espera continuar motivado e pretende gerar 500mil novos empregos nos próximos 4 anos através da implementação de iniciativas desenvolvidas de acordo com as maiores dificuldades mapeadas no estado.